3
Aladefe

Aladefe

OCTUBRE 2014 N° 4 Volumen 4

A produção do conhecimento acerca do ensino superior de graduação em Enfermagem em âmbito internacional (2005-2012)

Sección: Revisiones

Cómo citar este artículo

Bertacchini de Oliveira L, Ribeiro do Nascimento H, Alves de Araújo Püschel V, da Costa Carbogim F. A produção do conhecimento acerca do ensino superior de graduação em Enfermagem em âmbito internacional (2005-2012). Rev. iberoam. Educ. investi. Enferm. 2014; 4(4):65-71.

Autores

1Larissa Bertacchini de Oliveira, 2Heloisa Ribeiro do Nascimento, 3Vilanice Alves de Araújo Püschel, 4Fábio da Costa Carbogim

1Enfermeira. Mestranda em Enfermagem na Saúde do Adulto. Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo. São Paulo, Brasil.
2Enfermeira. Mestre em Enfermagem na Saúde do Adulto pela Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo. São Paulo, Brasil.
3Enfermeira. Professora associada. Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo. São Paulo, Brasil.
4Enfermeiro. Doutorando em Enfermagem na Saúde do Adulto, Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo. São Paulo, SP, Brasil.

Contacto:

Email: larabeta@usp.br

Resumen

Objetivo: caracterizar la producción de conocimientos sobre la educación superior de pregrado de enfermería en el ámbito internacional.
Metodología: revisión bibliográfica de la literatura. Se incluyeron los estudios que hablan de la enseñanza de pregrado en enfermería. La búsqueda se realizó en las bases de datos LILACS y MEDLINE, entre 2005-2012, utilizando las palabras clave: educación superior; enfermería; educación y enfermería superior.
Resultados: se encontraron 1.427 artículos y fueron seleccionados 293. Hubo un aumento progresivo en el número de publicaciones 2005-2011, lo que evidencia una reducción en 2012. Las revistas con mayor número de publicaciones fueron Nurse Education Today (11,6%) y la Revista Brasileira de Enfermagem (10,2%). Hubo un predominio de publicaciones en América del Sur (44%) y de estas el 42,5% se realizaron en Brasil. Los temas más discutidos en los estudios fueron: la evaluación de la enseñanza (22%), la enseñanza de / proceso (19%) de aprendizaje, metodología de la enseñanza (16%) y el plan de estudios de pregrado (11%).
Conclusiones: se destaca la contribución de los investigadores brasileños en la publicación de estudios sobre la educación en enfermería. Aunque existe un predominio de estudios descriptivos de diseño, hay una tendencia cada vez mayor en el desarrollo de estudios de intervención que abordan la evaluación de la enseñanza.

Palabras clave:

educación superior ; enfermería ; educación de pregrado

Title:

Knowledge output on international high education in nursing (2005-2012)

Abstract:

Purpose: To characterize knowledge output on undergraduate high education in nursing at an international level.
Methods: A literature review was conducted. Studies on undergraduate nursing learning were included. Literature search was based on LILACS and MEDLINE databases, from 2005 to 2012, and the following searching keywords were used: high education; nursing; education and high nursing.
Results:  A total of 1,427 papers were found and 293 were selected. An increasing number of articles was observed from 2005 to 2011, with a reduction being shown for 2012. Journals including the highest number of articles were Nurse Education Today (11.6%) and Revista Brasileira de Enfermagem (10.2%). A prevailing source of papers in South America (44%), with 42.5% of them coming from Brazil, was found. Most commonly discussed subjects in articles were: teaching assessment (22%), teaching/learning process (19%), teaching methods (16%) and undergraduate curriculum (11%).
Conclusions: Contributions from Brazilian investigators to nursing education articles are highlighted. Although studies using a descriptive design are the most commonly found, there is an increasing trend to develop interventional studies approaching teaching evaluation.

Keywords:

High education; nursing; undergraduate education

Portugues

Título:

La producción del conocimiento sobre la educación superior en enfermería internacional (2005-2012)

Resumo:

Objetivo: caracterizar a produção do conhecimento sobre o ensino superior de graduação em enfermagem em âmbito internacional.
Metodologia: revisão bibliográfica da literatura, na qual se buscou artigos que discorressem sobre o ensino superior em enfermagem, de 2005 a 2012, nas bases LILACS e MEDLINE, com os descritores: ensino superior; enfermagem; education, higher; nursing; educación superior e enfermería.
Resultados: foram encontrados 1427 artigos e selecionados 293. Houve aumento progressivo no número de publicações de 2005 a 2011, sendo evidenciada uma redução em 2012. Os periódicos com maior número de publicações foi a Nursing Education Today (11,6%) e a Revista Brasileira de Enfermagem (10,2%). Houve predomínio de publicações na América do Sul (44%), sendo que destes 42,5% foram realizados no Brasil. Os temas mais abordados nos estudos foram: avaliação do ensino (22%), processo de ensino/aprendizagem (19%), metodologia do ensino (16%) e currículo dos cursos de graduação (11%).
Conclusão: destacamos a contribuição de pesquisadores brasileiros na publicação de estudos na área de ensino em Enfermagem. Embora haja predomínio de estudos de delineamento descritivo, há uma tendência crescente no desenvolvimento de estudos de intervenção, que abordem a temática de avaliação de ensino.

Palavras-chave:

ensino superior; enfermagem; ensino de graduação

Introdução

O Ensino em Enfermagem passa por um momento de transformação, de modo a acompanhar as necessidades do mundo globalizado (1). Neste contexto, passou-se a discutir a expansão e qualidade do ensino, mudanças dos currículos de graduação e novas estratégias educativas a partir do conhecimento que é produzido na literatura (2).

A preocupação com a produção do conhecimento tem sido constante na trajetória evolutiva da Enfermagem, tanto com vistas à melhoria da qualidade do ensino da profissão, quanto pelo atendimento aos pacientes. Desta forma, a formação do enfermeiro e a pesquisa na área têm sido marcadas por uma série de mudanças, ligadas à busca por mais conhecimento, evidenciada não apenas pelas mudanças curriculares do ensino de graduação, mas também pela inserção, cada vez mais precoce, do aluno à pesquisa, não restringida apenas àqueles que cursam a pós-graduação (3).

Dessa maneira, a pesquisa na área da Enfermagem não só auxilia na definição dos parâmetros da profissão, mas gera o crescimento intelectual na prática profissional. Diante deste quadro, o objetivo deste estudo é o de caracterizar a produção científica internacional acerca da pesquisa sobre o ensino de graduação em Enfermagem. Considera-se que estes dados forneçam subsídios não só para a compreensão dos rumos e as especificidades do ensino da profissão, mas ainda para vislumbrar novas possibilidades de investigação na área.

Metodologia

Trata-se da revisão bibliográfica da literatura. Para a seleção dos artigos foram utilizadas as bases de dados LILACS (Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde), MEDLINE (Medical Literature Analysis and Retrieval Sistem on-line) e o diretório de pesquisa SCIELO (Scientific Electronic Library Online).

Os critérios de inclusão dos artigos foram: artigos publicados em português, inglês e espanhol; com disponibilidade online na íntegra; publicados no período compreendido entre janeiro de 2005 a dezembro de 2012; e estudos que discorressem sobre o ensino superior de graduação em Enfermagem.

A busca foi realizada pelo acesso on-line nas bases de dados selecionadas de forma independente por dos revisores. Os descritores controlados utilizados foram: ensino superior; enfermagem; education, higher; nursing; educación superior e enfermería.

Para organização da amostra de estudos, foi elaborada uma planilha no programa “Microsoft Office Excel”. Foi realizada a leitura na íntegra dos estudos selecionados e a coleta dos dados para caracterização dos estudos, através de um instrumento que contemplava os seguintes itens: tipo de publicação; periódico, idioma, país e ano em que foi publicado; características metodológicas do estudo; e os assuntos abordados em cada estudo. A apresentação dos resultados e a discussão foram feitas de forma descritiva.

Resultados

Foram identificados 1.427 estudos e selecionados 293, a partir da leitura dos títulos e resumos disponíveis on-line, sendo excluídos os estudos duplicados e aqueles que não atendiam aos critérios de inclusão.

Dos 293 estudos identificados no presente trabalho, 56% foram publicados no idioma inglês, 40% em português e 4% em espanhol.

Com relação ao veículo de publicação, foram identificados 71 periódicos, sendo que 27 deles publicavam assuntos de Enfermagem em geral, 12 eram específicos da área de Educação em Enfermagem, um publicava artigos relacionados à Educação em Saúde e os outros 31 eram da área de saúde em geral. Os periódicos segundo o número de publicações estão descritos na Tabela 1.
De 2005 a 2012, segundo o Gráfico 1, observou-se um aumento progressivo no número de publicações relacionadas ao ensino de graduação em Enfermagem dos anos de 2005 a 2011, sendo evidenciada uma queda no ano de 2012. Vale destacar que durante a busca dos estudos, as autoras identificaram um aumento significativo de trabalhos sobre o ensino na pós-graduação em Enfermagem no ano de 2012. Assim, apesar do aumento do número de publicações na área e a tendência observada nos outros anos, as publicações relacionadas à pós-graduação não foram objeto deste estudo.

Com relação ao local em que os estudos foram realizados, a análise descritiva dos mesmos mostrou predomínio de publicações na América do Sul (44%), sendo que destas 42,5% foram realizados no Brasil, seguido pela Europa (22,7%), América do Norte (18%), Ásia (8,9%), Oceania (5%) e África (1,4%).

Quanto ao tipo de estudo, foram identificados 242 trabalhos originais (82%). Destes, 180 (74%) se tratavam de estudos descritivos, 38 (16%) análises históricas, temáticas ou documentais e apenas 24 (10%) se tratavam de estudos de intervenção. Dentre os 24 estudos de intervenção, havia 11 (46%) estudos de intervenção do tipo antes e depois e apenas seis (25%) eram ensaios clínicos randomizados. Foram encontrados 17 (6%) artigos de reflexão, seguidos de 16 (5,6%) relatos de experiência e 16 (5,6%) estudos de revisão. Dentre os 16 artigos de revisão, 13 (81%) eram revisões simples, duas (12,5%) revisões integrativas e uma (6,5%) revisão sistemática (Tabela 2).

A leitura dos artigos na íntegra permitiu identificar os assuntos centrais abordados em cada estudo. Os temas mais frequentes foram: avaliação do ensino (22%); processo de ensino/aprendizagem (19%); metodologia do ensino (16%) e currículo dos cursos de graduação (11%). Todos os assuntos abordados nos estudos foram classificados em eixos temáticos na Tabela 3.

Discussão

Ocorre internacionalmente um vigoroso movimento de superação em relação à tendência tradicional de ensino em enfermagem, outrora restrito a processos técnicos e verticalizados, e atualmente buscando conhecimentos que estimulem o pensamento crítico, a criatividade e autonomia do discente (3-5).

À medida que avançamos no século 21, o ensino superior em enfermagem ganha destaque em pesquisas que buscam desenvolver e testar estratégias de ensino, propostas curriculares, estabelecer interligação entre desafios locais e globais em saúde, e o papel do futuro profissional neste contexto.

Nesse sentido, constatou-se, a partir do estudo, o progressivo aumento nas publicações entre os anos de 2005 e 2011. No entanto, cabe destacar a queda expressiva de produção no ano de 2012, sendo necessárias análises futuras para comparações e conclusões. Ainda cabe destacar que no ano de 2012, evidenciou-se pelo processo de exclusão, durante a análise, um aumento de estudos acerca do ensino em nível de pós-graduação, podendo também ter relação com a queda de estudos que abordem a graduação.

Evidenciou-se que 56% dos trabalhos foram publicados em inglês, a grande maioria títulos norte-americanos, devido à relação com os incentivos dos Estados Unidos da América em pesquisas e do interesse de diversos pesquisadores em publicar seus estudos neste país6. Outros 40% foram publicados em português, com predominância para América do Sul, sendo que, destes 40%, 42,5% foram realizados no Brasil. Possivelmente, este dado relaciona-se com a promulgação, no ano de 2001, das Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Graduação em Enfermagem, que propõem a transformação e flexibilização curricular, e estabelecem habilidades e atitudes desejáveis ao egresso, incentivando novas formas de ensinar e aprender. Tal acontecimento pode ter refletido no aumento progressivo da pesquisa nessa área de conhecimento no Brasil (4). Outro fator impactante se relaciona com a expansão dos cursos de pós-graduação e grupos de pesquisa que abordem o ensino da enfermagem brasileira, principalmente nos últimos dez anos.

Quanto ao tipo de estudo, 82% são produções categorizadas como original, demonstrando empenho dos pesquisadores em descrever, intervir e testar o ensino superior em enfermagem. Contudo, outro fator que pode influenciar este tipo de produção são as exigências das bases de dados para indexação, tendendo os periódicos para o maior aceite e publicação destes trabalhos.
Cabe destacar que dentre os 24 estudos de intervenção, apenas seis (25%) eram ensaios clínicos randomizados. Tal desenho metodológico pode concorrer para melhores níveis de evidências, contribuindo dessa forma para um ensino de enfermagem baseado em evidências.

Em relação às publicações de acordo com o assunto abordado, o tema que aparece com maior frequência é avaliação do ensino (22%). Esta maior frequência pode estar relacionada ao anseio de verificar, discutir e demonstrar pela pesquisa a ineficiência do modelo tradicional de ensino, pouco eficiente para abarcar as necessidades de saúde com suas demandas locais e internacionais. Este tema não está desvinculado dos demais que apareceram neste estudo: processo de ensino/aprendizagem (19%), metodologia do ensino (16%) e currículo dos cursos de graduação (11%).

Dessa forma, as escolas têm que buscar, através de seus processos de ensino, metodologias e currículos, mudanças que atendam às necessidades contemporâneas de saúde da população, sob a égide de uma reflexão crítica que impacte na prática profissional (4). Vale ressaltar também que a temática de uso de tecnologias no ensino, presente em 16% das publicações levantadas, demonstra não apenas que esta é uma ferramenta inovadora, que vem sendo utilizada cada vez com mais frequência no ensino de enfermagem, como também evidencia uma preocupação com a formação docente nessa área, de modo que os docentes possam ser instrumentalizados no uso destas tecnologias, para que possam agregar estes recursos como estratégias de ensino aplicadas no ensino de Enfermagem (7).

Conclusão

Houve grande destaque na contribuição de pesquisadores brasileiros na publicação de estudos na área de ensino em Enfermagem. Com relação à queda de publicações no ano de 2012, de temáticas voltadas ao ensino e graduação em Enfermagem, pode-se observar que a queda está relacionada ao aumento de publicações que abordem os programas de pós-graduação strictu sensu em enfermagem, o que também nos alerta para uma preocupação mundial com a formação de docentes e pesquisadores.

Também se observou que embora haja predomínio de estudos de delineamento descritivo, há uma tendência crescente no desenvolvimento de estudos de intervenção que abordem a temática de avaliação de ensino.

Espera-se que as informações apresentadas neste estudo, dentro de suas limitações para caracterizar toda uma pesquisa realizada na área de ensino de graduação em enfermagem em âmbito internacional, possam contribuir para o incremento de pesquisas na área a partir das tendências evidenciadas nas publicações.

Bibliografía

  1. Silva LMS, Oliveira NRN, Frota MA, Fialho AVM. Pesquisa internacional em Enfermagem: tendências temáticas e metodológicas. Rev Bras Enferm 2008; 61(5):615-619.
  2. Silva KL, Sena RR, Silveira MR, Tavares TS, Silva PM. Nursing education challenges in a context of growth in participation in higher education. Esc Anna Nery 2012; 16(2):380-387.
  3. Souza MCC, Oton A, Santos LL, Campos LG, Oliveira, VJ. Oficina sobre projeto pedagógico de curso de enfermagem: refletindo sobre inovações, desafios e potencialidades. Revista de Enfermagem Referência 2012; 3(8):67-73.
  4. Canever BP, Prado ML, Backes VMS, Gomes DC. Produção do conhecimento acerca da formação do enfermeiro na América Latina. Rev. Gaúcha Enferm 2012; 33(4):211-220. [En línea] [fecha de acceso: 18 de agosto de 2014]. URL disponible en: http://dx.doi.org/10.1590/S1983-14472012000400026
  5. Carbogim FC, Friedrich DBC, Soares TC, Castro EAB. Nursing education in Brazil: a look at holism in care. Journal of Nursing Education and Practice 2013; 3(2):93-101. [En línea] [fecha de acceso: 18 de agosto de 2014]. URL disponible en: http://dx.doi.org/10.5430/jnep.v3n2p93
  6. Neves VR, Sanna MC. Ensino da liderança em enfermagem: um estudo bibliométrico. Acta paul. Enferm 2012; 25(2):308-313. [En línea] [fecha de acceso: 18 de agosto de 2014]. URL disponible en: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-21002012000200024
  7. Verde J, Rodríguez C. Capacitación de enfermería en tecnologías educativas: nuevos tiempos y tendencias. Rev Iberoamericana de Educación e Investigación en Enfermería 2013; 31(1):31-37. [En línea] [fecha de acceso: 18 de agosto de 2014]. URL disponible en: http://www.enfermeria21.com/images/PDF/aladefe/originales4_31.pdf