3
Aladefe

Aladefe

ENERO 2021 N° 1 Volumen 11

A FORMAÇÃO DOCENTE DE PROFESSORES ENFERMEIROS UNIVERSITÁRIOS: UMA REVISÃO INTEGRATIVA

Sección: Revisiones

Cómo citar este artículo

Pereira de Borba K, Clapis MJ. A formação docente de professores enfermeiros universitários: uma revisão integrativa. Rev. iberoam. Educ. investi. Enferm. 2021; 11(1):7-16.

Autores

1 Kátia Pereira de Borba, 2 Maria José Clapis

1 Doutora em Ciências pela Universidade de São Paulo (USP) e professora no curso de graduação em Enfermagem, classe Adjunto, nível B, na Universidade Estadual do Centro-Oeste, UNICENTRO, Paraná.
2 Doutora em Enfermagem, é professora aposentada do Departamento de Enfermagem Materno-Infantil e Saúde Pública da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, e professora visitante no Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL-MG).

Contacto:

Email: kborba@unicentro.br

Resumen

Revisión bibliográfica integral de artículos nacionales e internacionales publicados entre los años 2009 y 2019, indexados en las bases de datos, biblioteca electrónica LILACS, CINAHL, MEDLINE, ERIC y SciELO; que tuvo como objetivo analizar el conocimiento producido en la literatura científica sobre la formación del profesorado de profesores universitarios de enfermería como un elemento relacionado con el ejercicio de la enseñanza. Se analizaron 11 artículos publicados en Brasil. Hubo consenso entre los estudios sobre la necesidad de que las enfermeras maestras adquieran capacitación pedagógica para ejercer el papel de educador en la educación superior. La clasificación del nivel de evidencia de los estudios fue 4. Se concluyó que la formación docente de los profesores universitarios de enfermería es intrínseca al ejercicio de la enseñanza, ya que tiene una relación profunda con el trabajo del profesor, en la universidad, con el plan de estudios del curso en el que trabaja, con las actividades didácticas que realiza, y con su carrera docente.

Palabras clave:

educación en enfermería ; profesora de enfermería ; enseñanza ; práctica docente de enfermería

Title:

Faculty training for university nursing teachers: an integrative review

Abstract:

A comprehensive literature review of national and international articles published between 2009 and 2019, indexed in the databases LILACS electronic library, CINAHL, MEDLINE, ERIC, and SciELO; which aimed to analyze the scientific literature output of knowledge on faculty training for university nursing teachers, as an item related to the practice of teaching. Eleven articles published in Brazil were analyzed. There was consensus among the studies on the need for teaching nurses to receive pedagogical training to perform their role as educators in higher education. The studies were classified into the level of evidence 4. It was concluded that the teaching training of university nursing teachers is intrinsic to the practice of teaching, since it has a profound relationship with the professional work in the university, with the curriculum of the involved course, with the teaching activities that are carried out, and with the teaching career.

Keywords:

Nursing education; nursing teacher; teaching; nursing teaching practice

Portugues

Título:

La formación docente de profesores de enfermería universitaria: una revisión integrativa

Resumo:

Revisão integrativa da literatura de artigos nacionais e internacionais publicados entre os anos 2009 e 2019, indexados nas bases de dados, LILACS, CINAHL, MEDLINE, ERIC, e biblioteca eletrônica SciELO; que objetivou analisar o conhecimento produzido na literatura científica sobre a formação docente de professores enfermeiros universitários como elemento relacionado ao exercício da docência. Analisou-se 11 artigos publicados no Brasil. Foi consenso entre os estudos a necessidade do enfermeiro docente adquirir capacitação pedagógica para exercer o papel de educador no ensino superior. A classificação do nível de evidência dos estudos foi 4. Concluiu-se que a formação docente de professores enfermeiros universitários está intrínseca ao exercício da docência, isto porque tem profunda relação com o trabalho do docente, na universidade, com o currículo do curso em que ele atua, com as atividades didáticas que desempenha, e com a sua carreira de professor.

Palavras-chave:

Educação em Enfermagem; Docente de EnfermagemEnsino Prática do docente de enfermagem

Introdução

Formação é um conjunto de atitudes, conhecimentos, habilidades e padrões de condutas, que efetivamente afeta muitas dimensões no indivíduo (1).
No contexto universitário, a palavra formação associada à palavra docente, constitui o termo formação docente, o qual tem um significado de caráter polissêmico, estando relacionado à formação acadêmica, que é a científica e literária; e a formação pedagógica, que é a formação profissional, a qual compreende a construção da profissionalidade para o desempenho do trabalho docente (2).
A formação docente de professores universitários está além do ensino e aprendizagem, sendo que envolve a formação inicial, que é a apropriação do conhecimento profissional a ser aplicado à futura profissão; a formação continuada, que relaciona-se à oferta pela universidade ou outras agências de cursos, como meio efetivo de alteração da prática pedagógica de professores; o conhecimento acadêmico teórico e experiencial; as práticas da docência; e as políticas públicas da educação (3).
O termo formação docente, é definido por alguns autores da área da educação como desenvolvimento profissional docente (DPD) (1,4-7). O DPD envolve a interação de contexturas espacial e temporal. A espacial refere-se ao ambiente social, organizativo e cultural em que o trabalho docente acontece, e a temporal inclui o momento cronológico que a carreira se encontra (8).
Segundo García (5), o DPD tem íntima relação epistemológica com quatro áreas da teoria e investigação da didática, as quais: A Escola: Requer a formação dos professores sobre o desenvolvimento organizacional onde atua; O currículo: Envolve a formação dos docentes sobre o currículo na instituição onde atuam; O ensino: Compreende a formação dos docentes sobre as estruturas sociais, ou seja, clima relacional, comunicação, atividades acadêmicas, didáticas e cognitivas; e Profissionalidade: Implica na formação dos professores às expectativas da profissão, a cultura profissional e as oportunidades de cursos de formação.
Relacionando o conceito que envolve a formação docente de professores e o ensino na área da saúde, especialmente da enfermagem, é possível compreender a docência como uma ação complexa, isto porque envolve não somente uma formação intelectual, relacionada a prática pedagógica e a ambiência de ensino e aprendizagem, mas a dimensão relacional e coletiva das situações de trabalho (4).
Considerando que a formação docente de professores enfermeiros universitários seja fundamental para formar o profissional enfermeiro, com vistas a atender as exigências do mundo do trabalho contemporâneo; as políticas públicas propostas pela área da saúde e da educação; e as necessidades de saúde da sociedade, surgiu o interesse pela realização do presente estudo.
Este estudo partiu do pressuposto que a formação docente de professores enfermeiros universitários exerça influência sobre o exercício da docência. Afim de responder o problema de interesse foi elaborada a seguinte questão de pesquisa: Qual a relação entre formação docente e exercício da docência evidenciada nas publicações do campo da educação superior em enfermagem?
O objetivo desse estudo foi analisar o conhecimento produzido na literatura científica sobre a formação docente de professores enfermeiros universitários como elemento relacionado ao exercício da docência.

Método

Revisão integrativa da literatura realizada em seis fases (9): elaboração da pergunta norteadora; busca na literatura; coleta de dados; análise crítica dos resultados incluídos; discussão dos resultados; e apresentação da revisão integrativa.
A seleção dos estudos se deu pelo levantamento bibliográfico de publicações indexadas no Brasil e internacionalmente; na biblioteca eletrônica Scientific Electronic Library Online (SciELO) e nas bases de dados, Literatura LatinoAmericana em Ciências de Saúde (LILACS); Cumulative Index to Nursing and Allied Health Literature (CINAHL); Literatura Internacional em Ciências da Saúde (MEDLINE); e Education Resources Information Center (ERIC), esta última inclusa por ser a maior base de dados sobre assuntos relacionados à educação no mundo.
Os estudos foram selecionados por meio de descritores a partir da terminologia em saúde consultada no DECS-BIREME e MeSH (Medical Subject Headings), e palavras chave, fazendo-se associações entre eles, descritos em português e na língua inglesa, acompanhados da expressão booleana and (Quadro 1).


Como critérios de inclusão dos artigos foram considerados: - Artigos de pesquisa disponíveis no modo de texto completo, nos idiomas português, inglês ou espanhol, publicados entre os anos 2009 e 2019; produções contemplando a formação docente de professores enfermeiros, sendo estes sujeitos da pesquisa e atuantes em universidades públicas ou privadas; e pesquisas com desenho metodológico qualitativo ou quantitativo. Quanto aos critérios de exclusão, foram considerados: publicações do tipo editorial, de revisão da literatura, de reflexão e relatos de experiência, resumos em anais de eventos, dissertações e teses, manuais, bem como publicações repetidas em mais de uma fonte de dados, e aquelas não relacionadas à temática do estudo. A coleta de dados foi realizada entre os anos 2017 a 2020.
A captação dos artigos se deu pela leitura de seus títulos, seguida da leitura de seus resumos. Os textos completos foram obtidos por meio da Biblioteca Digital Central da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (EERP), Universidade de São Paulo (USP).
A conclusão da seleção dos artigos aconteceu mediante a leitura na íntegra dos mesmos, excluindo-se aqueles que não tinham relação direta com a temática do estudo. Após a seleção dos artigos, os mesmos foram arquivados em pastas no diretório do computador, dispostos em planilha do Programa Excel for Windows, da Microsoft, com as seguintes informações: fonte de dados, periódico, ano, título, objetivo, desenho do estudo, principais resultados, e classificação quanto ao nível de evidência.
A leitura atenta do material elaborado permitiu a realização da análise e a interpretação dos dados, identificando-se entre os mesmos semelhanças e diferenças. Também verificou-se as possíveis lacunas do conhecimento, delimitando-se prioridades para estudos futuros. Na tentativa de proteger a validade da revisão integrativa, salientou-se na discussão as limitações do estudo.
Foram respeitados os direitos autorais dos artigos, não havendo modificação de seus conteúdos em benefício da revisão.
A análise e discussão dos dados foi fundamentada e comparada por literatura pertinente, o que possibilitou a apresentação da revisão integrativa e síntese do conhecimento produzido.

Resultados

O levantamento bibliográfico nas fontes de dados supracitadas mediante a combinação de descritores e palavras chave resultou num total de 6402 estudos, que após seleção por recorte temporal, idioma, assunto principal, tipo de documento e disponibilidade de texto modo completo, derivou em 211, os quais estão apresentados no Quadro 1.
A avaliação dos 211 estudos, que compreendeu a leitura de seus resumos e a consideração das publicações duplicadas, permitiu a seleção de 76. A leitura na íntegra dos 76 estudos, favoreceu a seleção daqueles com maior aproximação à temática investigada, decidindo-se pela análise de 11 publicados no Brasil.
Todos os estudos foram delineados como pesquisa descritiva, sendo 07 de abordagem qualitativa e realizados em universidade pública 10-16. Considerando-se a uniformidade de desenhos descritivos e a predominância de abordagem qualitativa entre os estudos, classificou-se os mesmos com nível de evidência 4 (9).
Os principais resultados contemplados nos estudos foram organizados em três categorias temáticas, e estão descritos a seguir. Oito estudos (10-17) permearam todas as categorias temáticas.
O quantitativo das publicações científicas analisadas quanto a autoria, título, objetivo principal e classificação por categorias temáticas, estão apresentadas no Quadro 2.

Categoria temática 1:
Entre os estudos analisados, os professores enfermeiros apontaram a construção do projeto pedagógico (PP) do curso como um marco de sustentabilidade das ações socioeducativas da instituição, configurando-se desse modo como um instrumento de trabalho que sugere o que vai ser feito, quando, de que maneira e por quem, para com mais segurança chegar aos resultados desejados (11).
Em um dos estudos ficou destacado a dificuldade do professor enfermeiro exercer uma prática pedagógica sob perspectiva progressista quando o PP tem uma organização disciplinar, isto porque esta forma curricular promove a fragmentação dos conhecimentos, que, compartimentados, impedem a compreensão e incorporação integral dos saberes e práticas necessários ao processo ensino-aprendizagem (14).
Foram considerados aspectos que dificultam o trabalho do professor, o estudo que sinalizou a infraestrutura institucional com escassez de recursos materiais pedagógicos e instalações inadequadas (16).

Categoria temática 2:
A hegemonia do ensino tradicional foi prática pedagógica contemplada em alguns estudos (14,17,20). Destaca-se o primeiro estudo (14), no qual evidenciou-se que, mesmo os docentes que definem sua atuação didática sob uma perspectiva crítico-social, apontam alguns impasses que impedem o exercício da docência totalmente orientada para esta abordagem, isto porque na formação de recursos humanos objetivando atender às demandas do mercado, pautam suas práticas didáticas sob uma tendência tecnicista sendo a base do ensino a transmissão de conteúdos.
Um dos estudos demonstrou que as crenças dos professores acerca do ensino e da aprendizagem estão relacionadas àquilo que pensam, como aprendem e de suas experiências em sala de aula (12). Nessa perspectiva, outro estudo sinalizou que professores enfermeiros fundamentam os saberes especificamente desenvolvidos no exercício da docência e na prática profissional àqueles validados pela sua experiência do dia-a-dia, constituindo um repertório de saberes e de práticas que não provêm dos cursos de formação ou dos currículos estabelecidos (11).
Envolvendo esses aspectos considera-se o estudo no qual os professores enfermeiros demonstraram ter maior identidade profissional com sua formação de base, que é ser enfermeiro (13); e os estudos que destacaram que o professor enfermeiro segue modelos profissionais de docentes de sua história pessoal, e tem como base as experiências que tiveram ao longo de sua formação estudantil (18-20).
Destaca-se o estudo que demonstrou que professores enfermeiros são autodidatas, condenados em parte a aprender seu ofício na prática cotidiana, alertou para o fato de que os docentes nem sempre devem considerar que a experiência que têm como enfermeiros pode gerar automaticamente aprendizagens pedagógicas, e enfatizou que para ensinar enfermagem é necessário ser enfermeiro, mas não é, de modo algum, suficiente, pois há sempre o risco de se estar desenvolvendo uma práxis sem a imersão pedagógica que se faz imprescindível ao exercício crítico e criativo da docência (10).     
 Sobretudo, salienta-se o estudo que apontou para o fato de que o professor enfermeiro deve ter o compromisso de formar profissionais competentes e cidadãos, que possam contribuir para um mundo mais justo e para o reconhecimento social da profissão docente (19).

Categoria temática 3:
Um aspecto consensual entre todos os estudos analisados (10-20) foi a importância do professor enfermeiro adquirir a capacitação pedagógica para exercer o papel de educador no ensino superior. Nessa perspectiva, destaca-se o estudo que demonstrou a importância da realização de cursos de formação continuada por professores enfermeiros, enfatizando serem essenciais os conhecimentos pedagógicos adquiridos para a formação docente, isto porque a formação necessita ser construída e reconstruída em função de um movimento educativo em permanente transformação (11).
Entre os estudos analisados, os professores enfermeiros demonstraram que é preciso tornar a formação continuada condição necessária para a atuação no ensino de enfermagem (12), enfatizaram a experiência profissional docente enquanto ferramenta de ensino, reconhecida e valorizada por alunos e instituições de ensino (11), e destacaram que o exercício da docência exige não só um amplo lastro de saberes diversificados, mas, sobremaneira, uma aprendizagem contínua, fundamental na carreira profissional, alicerçada pelo aporte de saberes do professor, como arranjo de uma arte específica que identifica um ofício mediado pela teoria e pela prática, que vem a ser a compreensão do saber ensinar do professor de profissão (11).
Destaca-se o estudo que considerou a formação de professores enfermeiros fundamental, visto que contribui para que os docentes se formem como sujeitos, e, como tal, percebam sua responsabilidade no desenvolvimento da escola (11).

Discussão

A análise envolvendo os onze estudos que compuseram esta revisão integrativa, permitiu identificar o reconhecimento do professor enfermeiro sobre a atividade docente enquanto expressão do saber pedagógico.
Compreende-se que a formação docente abarca não somente os conhecimentos didáticos que envolvem o processo de ensinar, mas aqueles intrínsecos ao funcionamento do curso de enfermagem, como o currículo prescrito, que é o PP, a escola, que nesse estudo significou a universidade, e a carreira do professor.
Em relação ao currículo Gimeno Sacristán e Pérez Gomes (21), alertam sobre a importância desse tema fazer parte da formação de professores. O currículo prescrito compreende um plano da atividade educativa do docente, sendo esta uma competência profissional básica desses profissionais. Se não a desenvolverem será porque em sua atividade seguem ou executam planos realizados por outros. Na perspectiva do currículo, é preciso saber lidar com as resistências e obstáculos existentes na prática da docência em enfermagem (22).
O desenvolvimento organizacional da escola compreende vários elementos, dentre eles, a gestão, que deve ser democrática e participativa, para que os professores possam tomar decisões em aspectos relevantes para o desenvolvimento de projetos de aperfeiçoamento, liderança institucional, e a existência de objetivos partilhados entre os mesmos (5).
 A finalidade do exercício da docência, que é ensinar, foi enfatizada entre os estudos analisados. Ensinar é uma atividade que requer conhecimentos específicos, consolidados por meio de formação voltada especialmente para esse fim, bem como atualização constante das abordagens dos conteúdos e das novas maneiras de ensiná-los (7).
Em se tratando do professor enfermeiro, o qual ensina enfermagem, é preciso ter conhecimento teórico sobre o assunto, habilidades técnicas e formação pedagógica (23). Sobretudo, a formação pedagógica é elemento fundamental para a profissão professor enfermeiro (24).
O desafio da preparação pedagógica para os professores enfermeiros universitários foi identificado entre os resultados de todos os estudos brasileiros analisados (10-20), foi fator relevante em um estudo realizado no Brasil (25) e em demais estudos realizados em países da América Latina (26,27), e Europa (28).
Entende-se que a falta da preparação pedagógica pode interferir na formação do enfermeiro e contribuir negativamente no desempenho da profissão enfermagem. Um estudo realizado com 169 estudantes de enfermagem de uma universidade chilena analisou os estilos de aprendizagem e as implicações no uso das didáticas na prática docente; e concluiu que o professor de enfermagem tem o desafio de usar várias estratégias de ensino para facilitar a aprendizagem individual e de grupo(25). Um outro estudo realizado no Brasil nessa perspectiva, considerou ser importante o docente de enfermagem diversificar suas estratégias de ensino, para possibilitar aos estudantes maior envolvimento nos temas a serem estudados(29).
Espera-se que o professor enfermeiro universitário forme profissionais competentes e comprometidos socialmente, para tanto entende-se que é preciso que este tenha oportunidades de qualificação pedagógica. Compreende-se que a formação docente é um processo contínuo e que envolve o DPD.
A formação docente compreendida como DPD, é um processo que vai se constituindo no contexto da atuação profissional, no ambiente de trabalho e na sala de aula, ancorado nas reflexões sobre as aprendizagens da docência (30). Significa entender que este tipo de formação abrange toda a carreira docente. Falar da carreira docente não é mais do que reconhecer que os professores, do ponto de vista do “aprender a ensinar”, passam por diferentes etapas de formação, sendo elas, formação inicial, iniciação ao ensino e formação continuada (5).
Destaca-se que no Brasil, à formação inicial de professores enfermeiros universitários considera-se a graduação em enfermagem. Os cursos de graduação em enfermagem estão orientados por Diretrizes Curriculares Nacionais (DCN), que propõem a organização do currículo pedagógico com vistas a atender os princípios e diretrizes do sistema público de saúde brasileiro, Sistema Único de Saúde (SUS).
A formação docente de iniciação ao ensino é destinada aos professores recém-contratados, visando prepará-los para um melhor exercício profissional (5). Nesse aspecto consideram-se as políticas públicas existentes na área do ensino em saúde brasileiro, as quais não são específicas para a educação em enfermagem, mas sobretudo estão voltadas para a formação de profissionais de saúde, mestres, doutores e pós-doutores.
A formação continuada é considerada por García (5) como DPD. O sentido do DPD depende da vida pessoal e profissional do docente; e das políticas e contextos escolares nos quais os mesmos realizam suas atividades. Assim como, de suas competências, seu saber-fazer profissional e suas condições de trabalho, sejam elas, a sala de aula, as culturas de ensino e a liderança, a avaliação, o planejamento de seu desenvolvimento pessoal, os modelos de parceria e as redes de aprendizagem e aperfeiçoamento (6). Um estudo realizado em Portugal, com docentes universitários da área da enfermagem, evidenciou que a formação continuada é determinante no DPD, pela aprendizagem, conhecimento profissional e desenvolvimento de competências (28).
O contexto dos estudos analisados possibilitou perceber que os saberes pedagógicos dos professores enfermeiros são frutos da experiência ou da prática empírica, nascem de sua cultura; e são consolidados no cotidiano das atividades desenvolvidas nos trabalhos. Nesse sentido compreende-se que a formação docente de professores enfermeiros universitários brasileiros é atividade ainda em vias de construção.
Limitações do estudo: acredita-se que o diminuto quan¬titativo de pesquisas envolvendo a formação docente de professores enfermeiros universitários como elemento relacionado ao exercício da docência possa ter fragilizado o debate sobre a temática abordada. Desse modo, indicase a necessidade da realização de estudos primários com esta abordagem, o que acredita-se contribuir para propostas de intervenções políticas e institucionais, assim como, para a qualidade de trabalho e ensino na educação superior em enfermagem.

Conclusão

A análise dos estudos permitiu identificar que a formação docente de professores enfermeiros universitários está intrínseca ao exercício da docência, e deva contemplar o termo DPD, isto porque tem profunda relação com o trabalho do docente na universidade, com o currículo do curso em que ele atua, com as atividades didáticas que desempenha e com a sua carreira de professor.
Tendo em vista que esse tipo de abordagem não foi encontrado entre os onze artigos analisados, identificou-se nesse propósito uma lacuna de conhecimento digna de investigação.

Conflito de interesses

Não tem.

Financiamento

Não tem.

Bibliografía

  1. Zabalza MA. El practicum y las prácticas em empresas: em la formación universitária. Madrid: Narcea; 2013.
  2. Assolini FEP, Lastória AC, Almeida E. Docência, prática pedagógica, currículo, formação e desenvolvimento profissional: discussões, desafios e perspectivas. Entrevista com Profª Drª Noeli Prestes Padilha Rivas. In: Lastória AC, Rosa AV. Elos da cidadania: localidade, escola e ação. Ribeirão Preto, SP: Pró-reitoria de cultura e extensão universitária; 2014.
  3. Mizukami MGN, Reali AMMR, Reyes CR, Martucci EM. Escola e aprendizagem da docência: processos de investigação e formação. São Carlo, SP: Edufscar; 2010.
  4. Cunha MI. Trajetórias e lugares de formação da docência universitária: da perspectiva individual ao espaço institucional. Araraquara, SP: Junqueira & Marin; 2010.
  5. García CM. Formação de professores: para uma mudança educativa. Porto (PT): Porto Editora;1999.
  6. Day C. Desenvolvimento profissional de professores: os desafios da aprendizagem permanente. Porto (PT): Porto Editora; 2001.
  7. Almeida MI, Pimenta SG. Pedagogia universitária: valorizando o ensino e a docência na universidade. Revista Portuguesa de Educação. 2014, 27(2):7-31.
  8. Vaillant D, García CM. El ABC y D de la Formación Docente. Madrid: Narcea; 2015.
  9. Ganong LH. Integrative reviews of nursing research. Res Nurs Health. [internet]. 1987 Fev [citado 8 dic 2020]; (1):1-11. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/?term=Ganong+LH.+Integrative+reviews+of+nursing+research.+Res+Nurs+Health.+1987%3B10(1)%3A1-11
  10. Pereira WR, Chaouchar SH. Identificação de novas práticas pedagógicas na percepção dos docentes de um curso de enfermagem. Cienc Cuid Saúde [internet]. 2010 Mar [citado 8 dic 2020]; 9(1):99-106. Disponível em: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/CiencCuidSaude/article/view/10533/5742
  11. Madeira MZA, Lima MGSB. O significado da prática docente na constituição do saber ensinar das professoras do Curso de Enfermagem da Universidade Federal do Piauí. Texto Contexto Enferm [Internet]. 2010 Mar [citado 8 dic 2020]; 19(1):70-7. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v19n1/v19n1a08.pdf
  12. Backes VMS, Moyá JLM, Prado ML. Proceso de construcción del conocimiento pedagógico del docente universitario de enfermería. Rev Latino-Am Enfermagem. [internet]. 2011 Abr [citado 8 dic 2020]; 19(2):1-8. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rlae/v19n2/es_26.pdf
  13. Sebold LF, Carraro TE. Modos de ser enfermeiro-professor-no-ensino-do-cuidadode-enfermagem: um olhar heideggeriano. Rev Bras Enferm [internet]. 2013 Ago [citado 8 dic 2020]; 66(4):550-56. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reben/v66n4/v66n4a13.pdf
  14. Rodrigues JA, Rocha LS, Anjos DS, Cavalcante LPF, Rozendo CA. Rev Bras Educ Méd. [internet]. 2013 Set [citado 8 dic 2020]; 37(3):333-42. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbem/v37n3/05.pdf
  15. Backes VMS, Moya JLM, Prado ML, Menegaz JC, Cunha AP, Francisco BS. Expressions of pedagogical content knowledge of an experienced nursing teacher. Texto Contexto Enferm [internet] 2013 Set vol.22, n.3 [citado 8 dic 2020]; 22(3): 804-10. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v22n3/en_v22n3a29.pdf
  16. Leonello VM, Oliveira MAC. Higher education in nursing: the faculty work process in different institutional contexts. Rev Esc Enferm USP [internet]. 2014 [citado 8 dic 2020]; 48:6. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v48n6/0080-6234-reeusp-48-06-1093.pdf
  17. Alexandre KCRS, Cesarino CB. Formação e prática pedagógicas docente em cursos superiores de enfermagem em instituições particulares. Arq. Ciênc. Saúde. [Internet]. 2014 Mar [citado 8 dic 2020]; 21(1):79-87. Disponível em: http://repositorio-racs.famerp.br/racs_ol/vol-21-1/ID-577-21(1)-(Jan-Mar-2014).pdf
  18. Draganov PB, Sanna MC. Avaliação das competências de professores de enfermagem para desenvolver programas educativos para adultos. Rev Bras Enferm. [internet]. 2013 Ago [citado 8 nov 2020]; 66(4). Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reben/v66n4/v66n4a12.pdf
  19. Draganov PB, Sanna MC. Evaluation of teacher competencies of nursing to managing educational programs for adults. Esc. Anna Nery [internet]. 2014 Mar [citado 8 dic 2020]; 18(1):167-74. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ean/v18n1/en_1414-8145-ean-18-01-0167.pdf
  20. Draganov PB, Sanna MC. Competências andragógicas dos docentes enfermeiros que atuam na graduação em enfermagem paulistana. Trab. educ. saúde [internet]. 2016 Abr [citado 8 dic 2020]; 14(1):155-82. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tes/v14n1/1981-7746-tes-14-01-0155.pdf
  21. Gimeno Sacristán J, Pérez Gómez AI. Compreender e transformar o ensino. 4ª ed. Porto Alegre: Artmed; 1998.
  22. Magalhaes SMF, Gabrielloni MC, Sanna MC, Barbieri M. Nursing Education: conceptualizing a pedagogical project from the view of professors. Acta paul. enferm. [internet]. 2017 [citado 8 dic 2020]; 30(3):247-253. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ape/v30n3/en_1982-0194-ape-30-03-0247.pdf
  23. Menegaz, JC, Backes, VMS; Moya, JLM. Pedagogical reasoning and action of professors of nursing: expressions in different educational contexts. Texto contexto - enferm. [internet]. 2018 [citado 8 dic 2020]; 27(3):e2660016. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/tce/v27n3/en_0104-0707-tce-27-03-e2660016.pdf
  24. Fernandes CNS, Souza MCBM. Teaching in higher education in nursing and identity construction: entry, career and permanence. Rev Gaúcha Enferm [internet]. 2017 Mar [citado 8 dic 2020]; 38(1):e64495. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rgenf/v38n1/en_0102-6933-rgenf-1983-144720170164495.pdf
  25. Vendruscolo C, Pozzebon A, Bender JW, Daiana K, Zocche DAA, Zanatta EA. Enfermeiro professor: Limites e possibilidades da carreira. R bras ci Saúde [internet]. 2018 [citado 8 dic 2020]; 22(2):95-100. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/rbcs/article/view/30927/19557
  26. Herrera YR1, Guaraca JAM, González CG, Maygua MAV, Herrera EGR, Granizo YES. Plan de superación para docentes de enfermería en la Universidad Nacional de Chimborazo, en Ecuador. EDUMECENTRO [internet]. 2019 [citado 8 dic 2020]; 11(4):6-19. Disponível em: http://scielo.sld.cu/pdf/edu/v11n4/2077-2874-edu-11-04-6.pdf
  27. Fuentealba-Torres M, Nervi Haltenhoff H. Implicaciones de los estilos de aprendizaje en el uso de didácticas en la práctica docente. Av.Enferm. [Internet]. 2019 Set [citado 8 dic 2020]; 37(2):189-97. Disponível em: http://www.scielo.org.co/scielo.php?pid=S0121- 45002019000200189&script=sci_arttext&tlng=pt
  28. Ferreira RMF, Nunes ACP. Ongoing training in the development of nursing teacher skills. Rev Gaúcha Enferm. [internet]. 2018 [citado 8 dic 2020]; 40:e20180171. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rgenf/v40/en_1983-1447-rgenf-40-e20180171.pdf
  29. Peres AMP, Rocha JR, Caveião C, Hipolito ACL, Mantovani MF. Teaching strategies in undergraduation in nursing:a descriptive study. Cogitare Enferm [internet]. 2018 [citado 8 dic 2020]; 23(4): e55543. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/cogitare/article/view/55543/pdf_en
  30. Mattos M, Monteiro FMA. Desenvolvimento profissional de docentes da educação superior em enfermagem: ressignificando experiências. Educ. rev. [internet]. 2017 [citado 8 dic 2020]; 33:e162238. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/edur/v33/1982-6621-edur-33-e162238.pdf